Desafios Liteários 2019

em 10 de fev de 2019

Olá alquimistas, sei que já estamos em fevereiro e deveria ter apresentado os desafios em janeiro, mas acabei me envolvendo em diversas mudanças por aqui e em outras áreas da minha vida que esqueci, porém vim corrigi isso e mostrar os três desafios que irei fazer em 2019 e que são de autoria do nosso blog.

Algo que eu queria há alguns anos era mostrar a Literatura Clássica por aqui. Sei que tem muitas pessoas torcem o nariz quando falam de clássicos, mas todo leitor com ausência dessa parte importantíssima da literatura sofrerá em diversas campos da sociedade, porque esses livros são fontes históricas e críticas sociais que ultrapassaram as barreiras seculares e políticas impostas e ainda conversam com a sociedade contemporânea.

Não pressuponha que tenho preconceito com literatura contemporânea, porque seria incabível já que vocês veem mais livros atuais que clássicos aqui, porém leio de tudo, entretanto sem boas discussões e reflexões filosóficas e sociológicas não fico e assim quero espalhar esse carinho pelos clássicos por muitos leitores que encontrarão um mundo visceral e realísticos em muitos livros que sugiro nos posts abaixo. Desde Jane Eyre até Romeu e Julieta.


O primeiro desafio é meu russo predileto Fiodor Dostoievski que influenciou a sociedade russa nos séculos XIX e XX e até hoje abrange muita da política e comportamento social na Rússia. Seus livros já foram adaptados para o cinema e o teatro. Sua mais célebre obra é Crime e Castigo que fala da miserabilidade humana sendo cuidada e punida por uma mão invisível que controla o destino com crueza.
As três obras citadas na imagem: O Idiota, Os Irmãos Karamázovi e Memórias do Subsolo são de suma importância em sua carreira e são cheias de críticas ao comportamento humano diante a imprevisibilidade da vida e os ataques súbitos de felicidade e o caos que nossas mentes vivem diariamente.

Claro que o escritor inglês mais conhecido do mundo tinha que entrar nesse ano. Suas obras marcaram profundamente a literatura internacional e dividem as críticas e pensamentos acadêmicos porque alguns acreditam que Shakespeare criticava o romantismo e de forma alguma idolatrava a insanidade e a intensidade colocada pelo ultrarromantismo. Já outros estudiosos afirmam que ele era a personificação artística do romantismo na Europa.

Suas peças e prosas são marcadas pelo culto ao amor e a tragédia que se assemelha ao gosto grego pela dramatização que vemos em Hamlet e Otelo. Sua obra magma é Romeu e Julieta que fora adaptado ao cinema e ao teatro inúmeras vezes.
Para finalizar e acalmar uma inquietação que formigava incansavelmente em meu coração e mente, coloquei o desafio de reler muitas autoras clássicas.

Engana-se quem acha que as mulheres não escrevia na Idade Média e Moderna. As mulheres apenas não tinham meio de ser publicadas. Algumas conseguiam por terem seu PRÓPRIO dinheiro e não terem medo de terem seu espírito massacrado pelas regras sociais, como Jane Austen e Virgínia Wolf - que recomendo ler a obra Um Teto todo seu (que fala sobre isso) - que quebraram esse paradigma e também romper a ideia que mulheres apenas escrevem romances.

Temos escritoras com suas mais variadas características de escrita e visões de vida. Temos as temidas e profundas Irmãs Bronte com seus inesquecíveis O Morro dos Ventos Uivantes e Jane Eyre ate a percursora da Ficção Científica, Mary Shelly com seu Frankstein e nossa encantadora e melancólica Emily Dickson e caindo nos braços inquietos de Clarice Lispector e na mansidão de Cecília Meirelles.

As autores citadas e colocadas na imagem oficial do desafio são apenas sugestões, mas podem ser apreciadas por olhos curiosos e desafiadores que topam boas aventuras.
Para participar é só escolher seu desafio e ler as obras. No Instragam é só usar a hastag oficial nos banners ou marcando @alquimia_literaria.

Gostam de ler clássicos? Aceitam esse desafio? Qual seu trama com a Literatura Clássica?




Um comentário:

  1. Que legal os desafios. Esse ano escolhi não participar de nenhum desafio literário, só tentar ler o que tenho aqui atrasado. Se conseguir, já vai ser uma vitória.

    Vidas em Preto e Branco

    ResponderExcluir

"Quando a educação não é libertadora, o sonho do oprimido é ser o opressor." (Paulo Freire)



Topo